sexta-feira, 17 de junho de 2011

O Olhar

Ela devia ter uns trinta anos. Vestia um vestido de verão claro, longo, velho e limpo. Um número maior. Fazia frio. Usava um casaco, um número menor, e um gorro escuro na cabeça. Meias e sapatos masculinos pretos. Os sapatos eram de amarrar.
Olhava para o que desejava com os olhos brilhantes. Seu rosto parecia o de uma criança em frente a uma vitrine de brinquedos. Levou um dedo a boca. Era a criança remoendo seus desejos, saboreando. Era a expressão clara do desejo.
A esquina era movimentada. Muitas pessoas passavam.
Não se atreveu a se aproximar do objeto da sua admiração. Um monte de sacos de lixo, que estavam em frente a uma casa.
Seguiu em frente.
Em determinado momento, parou e olhou para trás, com os olhos de quem deixa algo que muito quer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário