quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Terra


Tórrido sol,
Bruta terra.
Oasis a sombra
De uma verde árvore.

O som.
O morno cantar de um pássaro,
Um mugir dolente distante.

Pessoas?
Ao longe, sombras.
Um árduo capinar.

Dura gente,
Dura terra,
Duro sol.

Mas, dessa terra
Que ingrata parece,
Nasce a vida,
Nasce o milho, a cana, a uva.
Nasce o sumo desses duros seres
Que nela padecem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário