quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Supermercado

Como é duro ir ao supermercado com a mulher. Ser um ajudante de luxo. Uma agonia, uma paciência nipônica.
Bem, pega alguns limões. Pega meia dúzia de detergentes. Esses não. Já te falei só gosto dos transparentes.
Pega uma margarina. Droga qual é a que a gente usa em casa ?
Olha a prateleira. Tem inúmeras marcas. E o pior, as embalagens todas se parecem.
A mulher quando olha para uma prateleira seu olho clínico consegue ver a embalagem de um produto novo. Deve ter um raio x especial. E trata de pega-lo.
Ele olha e é uma profusão de cores, rótulos. Os olhos se embaralham e não conseguem se fixar em nenhuma, são todas iguais.
A mulher adora cheirar os produtos de limpeza que aparecem. Abre a embalagem e sente o aroma. Ele já disse: devia arrumar um emprego de piloto de prova de produtos de limpeza.
Agora mesmo, vai pega um, abre a embalagem e cheira, mas, o produto branco começa a sair do frasco e se avolumar, começa a tomar seu braço e vai se multiplicando, avançando para seu corpo. Toma seu rosto e ela começa a gritar. Ele corre para socorrê-la, assim como outras pessoas do mercado. Mas seu corpo vai se transformando em uma massa só.
Já se imaginou na frente da TV explicando que sua mulher foi engolida por um produto de limpeza. Que a sua perda é grande mas que irá acionar a empresa fabricante.
Alguns amigos o verão na TV e dirão: coitado não há valor que pague o ocorrido, outros, que sortudo e ainda vai botar a mão em uma grana.
Nesse desespero de imagens e pensamentos tenta ver qual a embalagem que está na mão de sua mulher, mas junto com todo o seu corpo se transformou em uma massa só.
Pensa: qual o fabricante? A quem vou acionar ? Seu desespero aumenta.
Nisso uma voz pergunta: jasmim ou lírios do campo? Meu Deus o que importa o aroma? Será que ajudará na identificação do produto ?
E a voz ainda mais forte: Jasmim ou lírios do campo?
Ele desperta do seu devaneio e vê sua mulher com dois frascos nas mãos, perguntando:
Benzinho eu prefiro jasmim. E você: jasmim ou lírios do campo?
Meio atordoado, retornando a sua pequenez, ao seu dia a dia responde:
Lírios do Campo.
Ah, mas eu vou levar jasmim por que eu prefiro. E ele fala baixinho aos seus botões: porque pergunta, pois, sempre leva o que quer?

Um comentário:

  1. você já pode ser canonizado em vida! aqui em casa resolvemos a situação de outro modo... arrumei um bom mercado que aceita pedidos por telefone e faz entregas à domicílio... o marido vai ao mercado sozinho, calmamente, apenas para comprar carnes, peixes e docinhos prediletos! sai mais caro, mas não há conflito! ele reclama de vez em quando da conta no final do mês, mas não me escuta mais reclamar do peso das sacolas de compras que eu carregava quando ia sozinha no supermercado heheh
    abço :O)
    marta

    ResponderExcluir